02
Abr 09
publicado por aquiagorasempre, às 09:56link do post | comentar | |

A cigarra,tendo cantado

o verão inteiro,

encontrou-se,quando chegou o vento

glacial do inverno,desprovida,

de um pedacinho sequer de verme

ou mosca para comer.

Foi então,chorar faminta

à porta da formiga,sua vizinha,

para implorar um grão que fosse

para não morrer de fome-

Eu vos pagarei com juros

e correção,palavra de animal.

A formiga nada gosta de emprestar,

e este é o seu menor defeito.

Que fizeste durante o calor?

perguntou à imprudente.

Noite e dia eu cantava,

respondeu a cigarra.

Ah,cantavas?`

Pois bem,então

porque não danças agora?

(Adaptação minha das "Fables de la Fontaine")


_Diz a sabedoria popular que quanto maior a altura,maior o tombo,e muitos países e pessoas que acharam que o crédito e a "gastança" não teria fim,estão como pobre cigarra a espichar a mãozinha por um dinheirinho,uma ajudinha para não quebrar.








mais sobre mim
Abril 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

12
15
18

19
24

28
30


pesquisar neste blog
 
tags

todas as tags

blogs SAPO