10
Mai 09
publicado por aquiagorasempre, às 10:13link do post | comentar | |

Minha querida,


Hoje,mais uma vez,me peguei pensando no quanto você significa para mim,para nossa família.

Pensei muito na garota do interior de Minas,de família pobre de imigrantes portugueses,com os sonhos e esperanças de toda menina de sua idade;com sua enorme vontade de superar todas as barreiras que a vida havia colocado à sua frente.

Tentei reconstituir um dia qualquer do início dos anos 60,naquela cidade tão distante da revolução de corações e mentes que começava a abalar o mundo.Acordando muito cedo,você tomava seu café com pão e ia para a escola(a escola então,era tudo que você possuía).Suas amigas(há 50 anos!) Celina,Conceição e Maria Paula a esperavam no cruzamento da via férrea.E lá se iam as quatro,com seus uniformes brancos de saias muito rodadas,a caminho da Escola Normal.Nesse dia tão distante agora,nessa época de um Brasil muito arcaico e ingênuo ainda,tudo que você queria(e tem sido sempre assim),era fazer tudo da melhor forma possível.A imagino na sala de aula,muitas vezes compenetrada,outras distraída,a correr atrás do destino ideal que havia traçado para si mesma.

Num começo de tarde de sol,voltava para casa,almoçava rapidamente e lá se ia trabalhar na Casa Serafim(miudezas e aviamentos em geral).E assim todos os dias,por quatro anos,até o dia brilhante da formatura como professora,que para muitos não seria grande coisa,mas para você e sua família,uma grande vitória,saboreada como tal.

Foi pouco antes de se formar que você conheceu aquele rapaz alto,louro,de olhos azuis( e também tão pobre e trabalhador como você),com pinta de galã,que suas amigas(com uma ponta de inveja)diziam que talvez fosse muita areia para o seu caminhão.Mas vocês se encontraram em um famoso Baile de aleluia do clube União,e para espanto de muitos,começaram a namorar.E como deu certo!Dois tímidos e sonhadores,que tinham uma visão solar da vida e que sabiam que com o amor que sentiam um pelo outro,tudo seria mais fácil.

Tenho nas mãos o álbum de retratos daquele dia 10 de abril de 1.964,que você guarda a sete chaves há 45 anos.Vejo uma bela moça,um pouco encabulada,com um leve sorriso nos lábios,toda de seda branca e rendas.Há uma foto sua,colocando a aliança nos dedos de meu pai que significa muito.A sua felicidade é indisfarçável:você olha fixo nos olhos dele,um adorável sorriso ilumina seu rosto.,não um daqueles sorrisos posados,mas um sorriso da alma e do coração.

Você sabia que a vida de vocês não seria fácil,que tinham tudo a construir:muito boa vontade e pouquíssimo dinheiro.

Pois como vocês deram certo!Você fez faculdade,formou-se,fez mestrado,tornou-se professora universitária.(quando se casou,jamais imaginaria isso).Teve quatro filhos,trabalhou muito,nada foi fácil para você.Lembro-me ,ainda pequeno,como você saía cedo e só chegava à tarde;das pilhas de provas a corrigir,das muitas vezes que o cansaço se desenhava em seu rosto.Mas era assim.

Quero dizer,que nós,seus quatro filhos,temos as mais lindas lembranças de sua perseverança,de sua fibra,de sua inteligência.Sempre justa,nunca teve preferidos.Nunca quis que fôssemos o seu reflexo ou de nosso pai;sempre exigiu que estudássemos com afinco,porque você sempre soube como a vida podia ser difícil.Rigorosa,nunca exigiu das pessoas o que elas não podiam dar.Seu casamento tem sido feliz e profícuo,e hoje seus cinco netos repetem nossa caminhada com você.

Não me esqueço de sua vontade de conhecer Portugal,esse país de seus pais,que você intuía através de mil histórias,da aldeia na Serra da Estrela que nas tantas fotografias parecia um lugar de um mundo perdido.Tive o privilégio de estar a seu lado quando estivemos em Portugal,e testemunhei sua alegria e sua emoção em encontrar uma outra pátria,com primos e tias,e belas serras cobertas de geada.A brasileira se tornou um pouco portuguesa.

Hoje quero dizer a você,sem lugares comuns,que muito do que somos,devemos a você.E é muito bom te-la por perto,conversar com você,comer uma pizza,vajar juntos,e todas essas pequenas coisinhas do dia a dia que não damos muito valor.Muito do amor que temos pela vida e pela arte,veio de você,mãe e amiga querida.Um grande abraço no coração.

Bonita a homenagem que fez à sua mãe!
Beijo
marie a 10 de Maio de 2009 às 14:33

Uma linda homenagem, a história dela, do amor pelo seu pai, e do carinho que existe entre vcx. Espero que ela tenha vibrado... e tenha lhe dado um super beijo.
Tucha a 10 de Maio de 2009 às 16:20

marie,obrigado a você,por sempre visitar e comentar.É um prazer te-la aqui.Abraços.
james p. a 10 de Maio de 2009 às 18:49

Tucha,seja bem vinda ao meu canto.Minha mãe gostou muito.Nosso dia foi ótimo,com toda a família reunida.Obrigado pela visita e um abraço.
james p. a 10 de Maio de 2009 às 18:50

Olá James, teu post é um verdadeiro memorial. Que guerreira essa mãe! Obrigada pela visita assídua ao meu blog. Abraço forte!
Ariane Rodrigues a 10 de Maio de 2009 às 19:11

Oi, James
Bela homenagem!Ela tem muito que se orgulhar de ter um filho assim como tu!
Lindo saber um pouco da tua trajetória de vida através da vida dela.
Parabéns à ela pelo seu dia!
Bjs.
Wania a 10 de Maio de 2009 às 19:23

É verdade,Ariane,minha mãe sempre foi muito batalhadora.Obrigado pla visita e um abraço.
james p. a 11 de Maio de 2009 às 08:45

Wania,muito obrigado pela visita e pleo comentário.Abraços.
james p. a 11 de Maio de 2009 às 08:46

Que linda homenagem! Obrigada por participar da coletiva. Vc recebeu meu email sobre o nosso projeto?

abraço
Vanessa a 11 de Maio de 2009 às 10:50

Meus parabéns meu caro. A carta realmente é uma forma profunda de dizer que muitos outros tipos de textos não conseguem dizer.

um abraço
Rômulo a 11 de Maio de 2009 às 11:41

mais sobre mim
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

12
16

18
23

25
27
30

31


pesquisar neste blog
 
tags

todas as tags

blogs SAPO