29
Mai 09
publicado por aquiagorasempre, às 09:26link do post | comentar | ver comentários (18) | |
Meus amigos,o Henrique (e sua família)estão precisando muito da nossa ajuda.Para maiores detalhes visitem http://vivahenrique.blogspot.com .Muito obrigado a todos e um abraço.

26
Mai 09
publicado por aquiagorasempre, às 09:14link do post | comentar | ver comentários (26) | |


Para muitos,brega,cafona,exagerado.Para mim uma das canções da trilha sonora da minha vida.

Dicen que la distancia es el olvido
Pero yo no concibo esta razón
Porque yo seguiré siendo el cautivo
De los caprichos de tu corazón

Supiste esclarecer mis pensamientos
Me diste la verdad que yo soñé
Ahuyentaste de mí los sufrimientos
En la primera noche que te amé

Hoy mi playa se viste de amargura
Porque tu barca tiene que partir
A cruzar otros mares de locura
Cuida que no naufrague en tu vivir

Cuando la luz del sol se esté apagando
Y te sientas cansada de vagar
Piensa que yo por ti estaré esperando
Hasta que tú decidas regresar

Supiste esclarecer mis pensamientos
Me diste la verdad que yo soñé
Ahuyentaste de mí los sufrimientos
En la primera noche que te amé

Hoy mi playa se viste de amargura
Porque tu barca tiene que partir
A cruzar otros mares de locura
Cuida que no naufrague en tu vivir

Cuando la luz del sol se esté apagando
Y te sientas cansada de vagar
Piensa que yo por ti estaré esperando
Hasta que tú decidas regresar
(Letra de Roberto Cantoral)

24
Mai 09
publicado por aquiagorasempre, às 10:56link do post | comentar | ver comentários (17) | |


Toda excelência gera deslumbramentos,impaciências,invejas,entusiasmos;toda uma gama de sensações que vêm à tona,quando os gênios questionam os paradigmas de seu tempo;desafiam o velho senso comum,produtor de paralisias culturais e atraso da sociedade.A literatura sempre foi uma caixa de ressonância dos rumos de uma época,e se ela produz escritores capazes de traduzir o espírito do seu tempo,suas contradições sociais e artísticas,ela também cria seus próprios fantasmas e incoerências,como toda arte.
Há escritores que de tal forma tiveram uma relação especular com seu tempo,que seus nomes se misturam a um determinado ponto da história,como Dante,Shakespeare,
Voltaire,Balzac,Dickens,Proust,Machado de Assis,Walt Whitman,Eça de Queiróz,Virginia Woolf,Joyce,Borges,entre tantos outros.
Victor Hugo é um desses escritores paradigmáticos,que mudaram o percurso da história literária,apostando em um novo modelo,em uma nova leitura da sociedade através da literatura.Grande farol do romantismo,Hugo criou uma voz única,ao tomar a palavra como instrumento de transformação.
Sua própria vida e suas circunstâncias se encaixariam perfeitamente em um caudaloso romance-rio romântico.Nascido em 1802,pouco depois do violento nascimento de uma outra concepção social, que foi a revolução francesa e seus desdobramentos.Um dos frutos imediatos,e de certa forma inesperados foi Napoleão.A partir daí,a França e a Europa viveram meio século de revoluções e guerras sangrentas.Victor Hugo,filho de um general de Napoleão,percebeu que a 'morte' do antigo regime e tudo que ele representava,como o classicismo,a mais feroz opressão social,a arte engessada em modelos ultrapassados,tinha que ser levada a cabo como uma nova revolução,dessa vez artística.
O Romantismo,tido hoje por uma parte da crítica como praticamente datado,era a revolução daquela época.E Victor,seu general de brigada,partiu para o ataque com o drama 'Hernani',que causou furor em Paris quando foi encenado em 1830.A partir daí Hugo vai lançando uma série de obra-primas como 'Nossa Senhora de Paris'(mais conhecido com-O Corcunda de Notre Dame),'As Contemplações'(poesia),o magnífico 'Os Miseráveis'(recém publicado na íntegra no Brasil pela Martin Claret),'Os Trabalhadores do Mar'(traduzido por Machado de Assis),o belo e comovente'O Homem que ri','Noventa e três'(sobre o período do terror na revolução francesa),entre as mais de 60 obras publicadas.
O crítico inglês Graham Robb,especialista em literatura francesa do século XIX,escreve uma biografia rigorosa, que longe de ser congratulatória,esmiuça todas as contradições do homem Hugo,e relação dessas contradições com a vida privada do escritor,que viveu um casamento falido e manteve um relacionamento extra-conjugal por 50 anos,que era a favor da mudança dos costumes,que denunciava as perversões mais abjetas da sociedade;mas que na intimidade(como Freud ou Jung,por exemplo)era um mantenedor da'moral e dos bons costumes',parte daquele triste time dos que temem o que'o que os outros vão pensar',ou 'a mulher é a rainha do lar'.Essa oposição talvez tenha feito Victor Hugo viver em conflito permanente consigo mesmo,o que o motivou a escrever uma das obras mais poderosas e consistentes do século XIX.
O homem que passou vinte anos no exílio,ou aquele que levou 3 milhões de pessoas a seu enterro apoteótico em 1885,estaria se revirando no túmulo ao ver a 'disneificação' de'O Corcunda de Notre Dame' ou a 'broadwaização' de 'Os Miseráveis' transformadas de monumentos literários a inócuos produtos de mau gosto e de consumo imediatista.
Indico a todos essa excelente biografia de um grande escritor,escrita com vigor e minúcia,por um especialista em Hugo.
Confiram-'Victor Hugo-Uma Biografia' de Graham Robb(Editora Record).

22
Mai 09
publicado por aquiagorasempre, às 09:18link do post | comentar | ver comentários (25) | |
[Error: Irreparable invalid markup ('<embed [...] <br>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

<object width="445" height="364"><param name="movie" value="http://www.youtube.com/v/7ylOLutQYRw&hl=pt-br&fs=1&rel=0&border=1"></param><param name="allowFullScreen" value="true"></param><param name="allowscriptaccess" value="always"></param><embed src="http://www.youtube.com/v/7ylOLutQYRw&hl=pt-br&fs=1&rel=0&border=1" type="application/x-shockwave-flash" allowscriptaccess="always" allowfullscreen="true" <br />width="445" height="364"></embed></object><br /><br />'À Deriva' foi aplaudido de pé ontem,no Festival de Cannes durante cinco minutos.O filme conta a história despretensiosa de uma garota de 14 anos que descobre que o mundo não é sempre (ou quase nunca)como queremos.Até que enfim um filme que fala sobre os sentimentos das pessoas,não uma caricatura dos mesmos,um filme que conta uma história que já aconteceu com todos nós,que enfim fala de um país que não se resume a um drama social,à violência ou ao desrespeito ao ser humano.Um filme humanista(para desepero dos que pensam que somente a miséria moral ou material tem que ser mostrada).Estreia no Brasil em Setembro.

21
Mai 09
publicado por aquiagorasempre, às 09:22link do post | comentar | ver comentários (20) | |



Tenho enorme curiosidade em saber como seria a vida na antiga Roma.Como seriam os magníficos edifícios dos quais hoje só restam ruínas;como viveriam esses romanos de dois mil nos atrás?Esse vídeo faz parte de uma série que tenta reconstituir a Roma dos césares nos mínimos detalhes,através de estudos arqueológicos,arquitetônicos e históricos.O resultado é impressionante.

20
Mai 09
publicado por aquiagorasempre, às 13:36link do post | comentar | ver comentários (12) | |
Esse é o selo da"Leitura Coletiva",idealizada por mim e pela Vanessa.Quem quiser se inscrever,consulte o post abaixo sobre a "Leitura Coletiva".Um abraço a todos.

19
Mai 09
publicado por aquiagorasempre, às 09:02link do post | comentar | ver comentários (10) | |

Em Santiago,havia um deão que cobiçava aprender a arte da magia.Ouviu dizer que Dom Illán,de Toledo,conhecia-a mais do que ninguém,e foi a Toledo procurá-lo.
No mesmo dia em que chegou,dirigiu-de à casa de Dom Illán e o encontrou lendo em um cômodo afastado.Este o recebeu com bondade e lhe pediu que adiasse o motivo de sua visita até depois de comerem.Mostrou-lhe o alojamento fresco e disse que sua vinda o alegrava muito.
Depois de comer,o deão contou a razão daquela visita e rogou que lhe ensinasse a ciência mágica.Dom Illán disse que adivinhava ser ele deão,homem de boa situação e belo futuro,por quem temia ser logo esquecido.O deão prometeu e assegurou que jamais esqueceria aquela mercê,e estaria sempre às suas ordens.Resolvido o assunto,explicou Dom Illán que as artes mágicas não se podiam aprender senão em lugar apartado,e tomando-o pela mão levou-o a um quarto contíguo ,em cujo soalho havia uma grande argola de ferro.Disse antes à criada,que preparasse perdizes para o jantar,porém que não as pusesse para assar senão quando lhe ordenassem..Juntos levantaram a argola e desceram por uma escada de pedra bem lavrada,até que ao deão pareceu terem descido tanto que o leito do Tejo estava sobre eles.Ao pé da escada havia uma cela e depois uma biblioteca e depois uma espécie de gabinete com instrumentos mágicos.Examinavam os livros,e nisso estavam quando entraram dois homens com uma carta para o deão,escrita pelo bispo seu tio,na qual lhe fazia saber que estava muito doente e que,se quisesse encontrá-lo vivo,não demorasse.Ao deão contrariaram muito essas novas,primeiro pela enfermidade do tio,depois por ser obrigado a interromper os estudos.Optou por escrever uma desculpa e mandou-a ao bispo.Três dias depois,chegaram alguns homens de luto com outras cartas para o deão,nas quais se lia ter o bispo falecido,que estavam elegendo o sucessor e esperavam ,com a graça de Deus,que fosse ele o eleito.Diziam também que não se incomodasse em voltar,posto que parecia muito melhor que o elegessem em sua ausência.
Passados dez dias,vieram dois escudeiros muito bem vestidos,que se atiraram a seus pés,beijaram-lhe as mãos e o saudaram como bispo.Quando Dom Illán viu essas coisas.dirigiu-se com muita alegria ao novo prelado e lhe disse que agradecia ao Senhor que tão boas novas chegassem à sua casa.Depois pediu-lhe o decanato vacante para um de seus filhos.O bispo fez-lhe saber que havia reservado o decanato para seu próprio irmão,mas que sempre havia determinado favorecê-lo,e que partissem juntos para Santiago.
Foram para Santiago os três,onde os receberam com honrarias.Seis meses depois,recebeu o bispo enviados do Papa qque lhe oferecia o arcebispado de Tolosa,deixando em suas mãos a nomeação do sucessor..Quando Dom Illán soube disso,recordou-lhe a antiga promessa e pediu-lhe o título para seu filho.O arcebispo fez-lhe saber que o havia reservado para seu próprio tio,irmão de seu pai,mas que havia determinado favorecê-lo,e que partissem juntos para Tolosa.Dom Illán não teve outro remédio senão concordar.
Foram para Tolosa os três,onde os receberam com honrarias e missas.Dois anos depois,recebeu o arcebispo enviados do Papa que lhe oferecia o capelo de Cardeal,deixando em suas mãos a nomeação do sucessor.Quando Dom Illán soube disso,recordou-lhe a antiga promessa e pediu-lhe esse título para seu filho.O Cardeal fez-lhe saber que havia reservado o arcebispado para seu próprio tio,irmão de sua mãe,mas que havia determinado favorece-lo,e que partissem juntos para Roma..Foram para Roma os três,onde os receberam com honrarias,missas e procissões.Quatro anos depois morria o Papa e nosso Cardeal foi eleito para o papado pelos demais.Quando Dom Illán soube disso,beijou os pés de Sua Santidade,recordou-lhe a antiga promessa e pediu-lhe o cardinalato para seu filho.O Papa ameaçou-o com o cárcere,dizendo-lhe que bem sabia ele que não era mais do que um bruxo e que em Toledo tinha sido professor da artes mágicas.O miserável Dom Illán disse que voltaria à Espanha e lhe pediu alguma coisa para comer no caminho.O Papa não acedeu.Foi quando Dom Illán(cujo rosto havia remoçado de modo estranho)disse com uma voz sem tremor:
-Pois terei que comer sozinho as perdizes que para esta noite encomendei.
A criada aprsentou-se a Dom Illán e este deu ordem para que as assasse.A essas palavras o Papa encontrou-se na cela subterrânea em Toledo,apenas Deão de Santiago,e tão envergonhado de sua ingratidão que não atinava como desculpar-se.Dom Illán disse que bastava essa prova,negou-lhe sua parte nas perdizes e o acompanhou à rua,onde lhe desejou boa viagem e se despediu com grande cortesia.
(De 'História Universal da Infâmia' -1935)-Tradução de Alexandre Eulálio.

17
Mai 09
publicado por aquiagorasempre, às 15:56link do post | comentar | ver comentários (28) | |
A Leitura Coletiva é um projeto conjunto com a Vanessa do http://fio-de-ariadne.blogspot.com/
Resolvemos escolher 4 contos da Literatura Brasileira para essa blogagem.
Quem se interessar,envie um e-mail para:fiodeariadne.blog@gmail.com,com o assunto 'leitura coletiva'.Os 4 contos são os seguintes:
-Missa do Galo-Machado de Assis-postagem entre 1 e 7 de Junho.
-A Menor mulher do mundo-Clarice Lispector-postagem entre 8 e 14 de Junho.
-O Homen nu-Fernando Sabino-postagem entre 15 e 21 de Junho.
-Os Noivos-de Nelson Rodrigues-postagem entre 22 e 28 de Junho.

Serão 10 vagas para cada conto.Nas 4 semanas de Junho,os participantes irão se alternar,publicando resenhas de cada conto.Será uma ótima oportunidade para conhecer ou reler quatro obras-primas do conto brasileiro,e passar sua visão particular deles.Assim que os grupos forem formados,publicaremos uma lista aqui e no Fio de ariadne.







15
Mai 09
publicado por aquiagorasempre, às 09:22link do post | comentar | ver comentários (10) | |











































































































Gustave Doré(1832-1883),ilustrou no século XIX "A Divina Comédia" de Dante,com tais requintes de beleza e perfeição,que muito poucos depois dele se atreveram a ilustrar o poema.Suas imagens impactam além da perfeição do traço.Todo o horror do inferno de Dante está refletido nelas,com seu clima soturno,de desespero e desilusão,com um Dante sempre agarrado a Virgílio,sempre com uma expressão de pavor quase inexprimível no olhar.Mais que ninguém,Doré soube literalmente colocar no papel toda a força da obra de Dante,todo o padecimento insuportável dos pecadores dantescos,em um mundo além da imaginação.Suas imagens do paraíso estão cheia de formas diáfanas e coros de anjos,já há anos luz dos pavores infernais.Um dos maiores desenhistas de todos os tempos,sem dúvida.













mais sobre mim
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

12
16

18
23

25
27
30

31


pesquisar neste blog
 
tags

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO